14 de enero de 2017

Exposición: Memórias feridas, corpos revelados: Itinerários contra o esquecimento. A Poliomielite e a Síndrome Pós-Pólio na Península Ibérica

Exposição Fotográfica no Museu da Ciência da UC explora a Poliomielite e a Síndrome Pós-Pólio
13 de janeiro| 18 horas| Museu da Ciência


Na próxima sexta-feira, dia 13 de janeiro, pelas 18 horas, vai ser inaugurada, no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra (UC), a exposição intitulada “Memórias feridas, corpos revelados: Itinerários contra o esquecimento. A Poliomielite e a Síndrome Pós-Pólio na Península Ibérica”.

A exposição, que ficará patente até 16 de abril, resulta da colaboração com o Espacio de Cultura Científica da Universidade de Salamanca, Espanha.

A cerimónia de inauguração conta com a presença de Cristina Pita Yáñez, vice-reitora da Universidade de Salamanca, e de Juan Antonio Rodriguéz Sánchez, professor da Universidade de Salamanca e coordenador da Rede Ibero-americana de Investigação em História da Poliomielite e da Síndrome Pós-Polio.

No dia 21 de junho de 2002 foi declarada a erradicação da poliomielite na Região Europeia, uma doença viral que afetou fundamentalmente a infância durante grande parte do século XX, marcando-a com sequelas paralíticas. A sociedade apressou-se a apagar da memória o horror da epidemia e, ao fazê-lo, esqueceu também os que lhe sobreviveram.

Ameaçados agora pelo aparecimento da síndrome pós-pólio, rebelam-se contra a invisibilidade, revelando com dignidade e orgulho os estigmas no corpo nu, as pegadas de uma legitimação imposta, uma memória coletiva contra o esquecimento de uma doença que ainda persiste em alguns países.

Com esta exposição, o Museu da Ciência celebra também os 52 anos do Plano Nacional de Vacinação em Portugal que se iniciou com a vacina contra a poliomielite.